fbpx

Serviços

EQUIPE ALTAMENTE QUALIFICADA EM DIAGNÓSTICOS

A equipe médica do CAMF é altamente capacitada e experiente na realização dos mais diversos exames de diagnóstico.

Juntamente com os demais profissionais de saúde que atuam no Centro, os médicos passam constantemente por atualizações, para assim operarem com precisão as mais variadas e modernas tecnologias disponíveis.

Junto a equipamentos de ultima geração, o capital humano do CAMF trabalha para que seu diagnóstico seja rápido e preciso.

A biópsia percutânea é um procedimento através do qual uma agulha ultrapassa a pele e atinge o órgão ou tecido no qual deve ser feita a biópsia. Ela pode ser guiada por US – ultrassonografia, ou TC – tomografia computadorizada. 

A biópsia é a retirada de um fragmento do órgão ou tecido, para análise, por exemplo, se determinado tumor é benigno ou maligno. 

É feita uma incisão na pele, próxima ao local a ser analisado, por onde será introduzida a agulha. 

Quando falamos de biópsia percutânea guiada por US, significa que ela é feita com a ajuda da ultrassonografia. 

Já a biópsia percutânea TC é guiada pela tomografia computadorizada. 

Geralmente, o método utilizado é escolhido com base na localização e características da lesão. 

Embora a biópsia percutânea seja um procedimento invasivo, não oferece riscos, já que é feito sem a necessidade de abertura da cavidade. 

Outra vantagem da biópsia percutânea guiada por US é proporcionar rapidez e análise, em tempo real, da progressão da agulha, sem a necessidade de uso de radiação ionizante. 

Já a biópsia percutânea guiada por TC, pode fazer uso de injeção do contraste intravenoso, para melhor delimitação do nódulo e das estruturas vasculares adjacentes. 

 

Lembre-se sempre: 

– Todos os exames têm indicações e contraindicações, por isso a consulta prévia com o médico da sua confiança é fundamental; 

– A grande maioria dos exames requer alguma preparação, que pode ser bastante variável. Para que o resultado seja seguro e preciso é necessário estar atento às recomendações prévias e segui-las adequadamente;  

– Existem exames que requerem alguns cuidados após sua realização. Informe-se e, se for o seu caso, siga as orientações. 

A osteoporose é uma doença esquelética sistêmica, caracterizada tanto por uma deficiência quantitativa quanto qualitativa de osso.  

A densitometria é a técnica mais atual para a medida da densidade mineral óssea e tornou-se “padrão ouro” para o diagnóstico de osteopenia, osteoporose e para uma variedade de aplicações clínicas e de pesquisa. 

O procedimento é capaz de detectar a redução da massa óssea, ainda no início, o que auxilia no bom resultado do tratamento, que pode ser iniciado de forma precoce, evitando o risco de fraturas. 

A densitometria pode avaliar a coluna lombar (PA e perfil), o fêmur proximal, o antebraço e o corpo inteiro com sua composição corporal. 

É importante destacar que os aparelhos estão mais avançados a cada dia, o que faz o exame ser mais rápido, eficiente e seguro, devido à baixa taxa de radiação. 

Geralmente, os médicos indicam a densitometria óssea para mulheres acima dos 65 anos e homens acima de 70 anos. Mas é importante ressaltar que existem muitas variantes, por isso ele pode ser indicado também para pessoas em outras faixas etárias. 

Já para crianças e adolescentes, a densitometria óssea pode ser indicada para avaliar a massa óssea e o quanto de massa magra e gordura o paciente tem. Nesses casos a avaliação tem como base a coluna e o corpo inteiro. 

Recomenda-se que a densitometria de controle seja feita sempre no mesmo equipamento, pois existem variações entre as máquinas e os operadores. 

 

Lembre-se sempre: 

Todos os exames têm indicações e contraindicações, por isso a consulta prévia com o médico da sua confiança é fundamental. 

É preciso suspender os comprimidos de cálcio 24 horas antes do exame. 

Os pacientes que realizaram exames radiológicos com contraste deverão aguardar, no mínimo, uma semana para agendar a densitometria óssea. 

No dia do exame, é necessário vestir roupas que não tenham botão ou zíper para facilitar a aquisição da imagem. 

Esse exame não é recomendado para mulheres grávidas. 

SEMPRE TRAGA SEUS EXAMES ANTERIORES PARA COMPARAÇÃO. 

A mamografia digital, também chamada de mamografia de alta resolução, traz como vantagem, em relação ao método tradicional, menos desconforto para a paciente, tempo menor de exame e possibilidade da utilização de contraste. 

 O exame é feito da mesma forma que a mamografia convencional, mas devido à tecnologia, proporciona uma maior precisão, detectando até nódulos menores de um centímetro. 

Outras vantagens da mamografia digital sobre o método convencional são:  

- Menos desconforto para a paciente;  

- Adaptação melhor às mulheres com mamas grandes e densas;  

- Tempo de exame menor;  

- Possibilidade de utilização de contraste para os casos onde há necessidade da avaliação dos vasos sanguíneos da mama. 

A mamografia deve fazer parte dos exames de rotina das mulheres, a partir dos 40 anos, ou no momento que o médico achar indicado. 

Através da mamografia digital é possível identificar lesões benignas na mama ou mesmo avaliar o tamanho, localização e tipo de nódulo existente. 

Ao realizar a mamografia digital a mulher coloca a mama no aparelho que faz pressão, para que seja visualizado o seu interior. Algumas relatam desconforto ou dor, mas isso não provoca qualquer problema na mama. 

É importante ressaltar que, quanto antes um câncer de mama é detectado, maiores as chances de cura.  

 

Lembre-se sempre: 

– Todos os exames têm indicações e contraindicações, por isso a consulta prévia com o médico da sua confiança é fundamental; 

– A grande maioria dos exames requer alguma preparação, que pode ser bastante variável. Para que o resultado seja seguro e preciso é necessário estar atento às recomendações prévias e segui-las adequadamente; 

- Existem exames que requerem alguns cuidados após sua realização. Certifique-se e, se for o seu caso, siga as orientações.  

 O Raio X Digital disponibiliza as imagens na mesma hora em que o procedimento é realizado, proporcionando que o laudo seja emitido mais rapidamente e o tratamento seja iniciado o quanto antes. 

O princípio é o mesmo do exame convencional, sendo que a principal diferença do raio X digital está na captura e processamento das imagens. 

 Enquanto o convencional usa placas de filme que passam por revelação, no digital direta os raios X são capturados por uma placa de circuitos sensíveis à radiação, que gera uma imagem digital e a envia ao computador na forma de sinais elétricos; e na digital indireta, os raios X são capturados por uma placa de fósforo que precisa ser escaneada para que a imagem seja transmitida ao computador. 

O exame de raio X digital, que também é chamado popularmente de radiografia, traz uma série de benefícios, entre eles estão: qualidade da imagem; otimização do tempo; mais segurança devido aos níveis de exposição menores; e ser ecologicamente correto, pois seu processo de revelação não usa filme. 

O exame de raio X digital é indicado em várias situações, algumas delas são os diagnósticos de: fraturas, distúrbios de crescimento, pneumonia, tumores, alterações em vários órgãos.   

 

Lembre-se sempre: 

– Todos os exames têm indicações e contraindicações, por isso a consulta prévia com o médico da sua confiança é fundamental; 

– A grande maioria dos exames requer alguma preparação, que pode ser bastante variável. Para que o resultado seja seguro e preciso é necessário estar atento às recomendações prévias e segui-las adequadamente; 

- Existem exames que requerem alguns cuidados após sua realização. Certifique-se e, se for o seu caso, siga as orientações.  

A tomografia computadorizada (TC) combina uma série de imagens de raios X tiradas de diferentes ângulos ao redor do corpo e usa o processamento do computador para criar imagens transversais (fatias) dos ossos, vasos sanguíneos e tecidos moles dentro do corpo. 

As imagens feitas durante a tomografia computadorizada permitem reconstruções em diferentes planos e possibilidades de registros milimétricos do corpo humano. 

 Uma tomografia computadorizada tem muitos usos, mas é particularmente adequada para examinar rapidamente pessoas que possam ter lesões internas devido a acidentes de carro ou outros tipos de trauma. 

Pode ser realizada também para diagnosticar tumores ou infecções em estágio inicial, bem como para planejar tratamentos médicos, cirúrgicos ou radiológicos. 

 A tomografia computadorizada é indolor e varia de acordo com a área a ser analisada, bem como a capacidade do paciente em se manter imóvel, mas geralmente é realizado entre 20 e 30 minutos. 

 

A importância do contraste 

Em algumas situações a injeção de contraste é fundamental. O contraste fornece informações preciosas adicionais para detecção de lesões vasculares pequenas (todos tumores são vascularizados), além de ajudar a diferenciar lesões malignas e benignas. 

As reações alérgicas significativas são extremamente raras sendo que a maioria delas é leve e resulta em erupção cutânea ou comichão. Em raros casos descritos, uma reação alérgica pode ser grave, até mesmo com risco de vida. 

Pacientes idosos e com problemas de função renal (que acompanham com nefrologista) sofrem maior risco de reação ao contraste, portanto esses pacientes devem levar o último valor do exame de creatinina no dia do exame. 

Informe o seu médico se você já teve uma reação ao material de contraste. 

  

Lembre-se sempre: 

– Todos os exames têm indicações e contraindicações, por isso a consulta prévia com o médico da sua confiança é fundamental; 

– A grande maioria dos exames requer alguma preparação, que pode ser bastante variável. Para que o resultado seja seguro e preciso é necessário estar atento às recomendações prévias e segui-las adequadamente; 

- Existem exames que requerem alguns cuidados após sua realização. Certifique-se e, se for o seu caso, siga as orientações.  

Através da ultrassonografia se visualiza, em tempo real, os órgãos e tecidos do corpo. A altíssima tecnologia tem permitido imagens cada vez mais nítidas, até mesmo para os leigos.

A ultrassonografia, ou ultrassom, é um exame através do qual se visualiza, em tempo real, os órgãos e tecidos do corpo.

Durante a realização da ultrassonografia, uma camada de gel é espalhada na pele, e médico faz o aparelho chamado transdutor deslizar sobre o gel, enquanto as imagens são vistas através da tela do computador ligado ao equipamento.

A ultrassonografia não causa dor e nem desconforto no paciente.

São vários os tipos de ultrassonografia disponíveis atualmente, muitas delas de altíssima tecnologia, que permitem imagens bastante nítidas, até mesmo para os leigos.

Já a ultrassonografia morfológica, que deve ser feita entre a 20ª e 24ª semana de gestação é específica para verificar se o bebê está se desenvolvendo corretamente ou se ele apresenta alguma malformação.

Outras indicações comuns de ultrassonografia são: abdominal (investigação de dores abdominais e avaliação de órgãos como fígado, rins e pâncreas); tireoide (ver o tamanho e formato da glândula e se possui nódulo); mama (observar a aparência de algum caroço que foi detectado com a palpação da mama); e pélvica (visualizar o útero, ovários e vasos sanguíneos da região).

 

A ultrassonografia com Doppler avalia a circulação dos vasos sanguíneos e o fluxo de sangue em determinado órgão ou região do corpo.  

É indicada para diagnóstico de estreitamento, dilatação ou oclusão de vasos sanguíneos. 

Entre suas principais indicações, estão a detecção de tromboses venosas ou arteriais e avaliação de varizes, além de ser bastante utilizada durante a gravidez, para analisar se o fluxo sanguíneo da mãe para o feto está adequado. 

Simples e indolor, a ultrassonografia com Doppler é feita da mesma forma que uma ultrassonografia geral, onde um gel é espalhado na pele, na região onde está o órgão ou tecido a ser visualizado, e o transdutor desliza pela área mostrando as imagens na tela do computador. 

A ultrassonografia com Doppler é utilizada especialmente para: aorta (avalia a presença de dilatações ou de um aneurisma na aorta); carótidas (diagnosticar alterações ou obstruções que podem causar um AVC); tireoide (avalia as características dos vasos sanguíneos da tireoide); membros inferiores (varizes, trombose, estreitamento dos vasos sanguíneos); e fetal (avalia a velocidade do fluxo de sangue do cordão umbilical e da placenta). 

 

Lembre-se sempre: 

– Todos os exames têm indicações e contraindicações, por isso a consulta prévia com o médico da sua confiança é fundamental; 

– A grande maioria dos exames requer alguma preparação, que pode ser bastante variável. Para que o resultado seja seguro e preciso é necessário estar atento às recomendações prévias e segui-las adequadamente; 

- Existem exames que requerem alguns cuidados após sua realização. Certifique-se e, se for o seu caso, siga as orientações.