fbpx

Fique atento: fortes dores de cabeça, febre e rigidez na nuca podem indicar meningite

A meningite se dá pela inflamação das meninges, ou seja, das membranas que envolvem o cérebro e medula espinhal.

Bactérias, vírus e, em casos mais raros fungos, são os causadores da meningite.

O tipo de meningite mais conhecido, e preocupante, é a meningocócica. Causada por bactéria, ela é altamente infecciosa e contagiosa.

De acordo com o Ministério da Saúde, pessoas de qualquer idade podem contrair meningite, porém, as mais atingidas são as crianças menores de cinco anos.

A contaminação se dá pelo contato de uma pessoa saudável com um doente, através de secreções nasais e gotículas de saliva, que geralmente são mais disseminadas por tosse ou espirro.

Como cada organismo tem suas particularidades e anticorpos, nem todos que adquirem o meningococo ficam doentes.

O período médio de incubação, até que surjam os primeiros sintomas é de quatro dias, mas ele pode variar dois e dez dias.

Sintomas

Fique atento aos sintomas e busque auxílio médico o quanto antes. Os mais comuns são:

  •   dor de cabeça forte e persistente;
  •   febre alta repentina;
  •   rigidez no pescoço e nuca que dificulta a movimentação da cabeça e encostar o queixo no peito;
  •   sensação de forte cansaço;
  •   náuseas ou vômitos;
  •   desconforto provocado pela luz e ambientes claros; e
  •   manchas avermelhadas ou púrpura na pele (nesses casos é preciso buscar auxílio médico imediatamente).
  • Em crianças pequenas e bebês também é importante ficar atento para:
  •   choro agudo ou gemido, especialmente quando é tocado (em bebês);
  •   movimentos rígidos, bruscos ou flexíveis (em bebês);
  •   moleira tensa ou elevada (em bebês);
  •   crianças que estejam reclamando de dor de cabeça;
  •   respiração rápida; e
  •   sonolência excessiva.

Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico da meningite se dá pela avaliação clínica, onde o médico solicita o exame do líquor, que é o líquido que envolve o sistema nervoso, assim será possível saber qual o agente infeccioso, podendo indicar o tratamento adequado.

Em casos se suspeita de uma meningite bacteriana, os medicamentos devem ser indicados antes mesmo que se tenha o resultado do exame, isso porque existe um risco de sequelas, que são agravadas com o passar do tempo quando não se tem a intervenção adequada.

O tratamento envolve o uso de antibióticos para combater a infecção. Medicamentos antitérmicos e analgésicos também costumam ser utilizados, para aliviar os sintomas gerais.

É comum que pessoas que tiveram contato direto com pacientes, que apresentaram quadro de meningite meningocócica, façam o tratamento profilático.

Prevenção e Cuidados

A prevenção da meningite inclui o uso de vacina, que está disponível na rede pública de saúde e consta no calendário vacinal, já para bebês nos primeiros meses de vida, com doses de reforço.

Evitar aglomerações, manter os ambientes sempre limpos e ventilados e cuidar da higiene pessoal mantendo as mãos sempre limpas, também ajudam a ficar longe da meningite.

Fontes: Biblioteca Virtual em Saúde – Ministério da Saúde; Médicos Sem Fronteiras; e Portal Drauzio Varella