fbpx

Atenção mulheres: Cuidem-se e ganhem mais saúde e qualidade de vida

Será que as mulheres são mesmo mais preocupadas em cuidar da própria saúde do que os homens?

Profissionais da área dizem que sim. Embora tenha crescido o número de homens que investem em exames preventivos, muitos deles são incentivados pelas suas mulheres.

E mais, dados da Pesquisa Nacional de Saúde, divulgados pelo IBGE, apontou que, em 2019 82% das mulheres consultaram um médico, em contrapartida, 69% dos homens estiveram com um profissional de saúde durante o período.

E o que as mulheres podem fazer para cuidar, cada vez melhor, de sua saúde?

São vários os cuidados, um deles é com a saúde mental.

O estresse do cotidiano, as responsabilidades profissionais e a jornada dupla, ou até tripla, podem levar a uma série de transtornos como ansiedade, depressão, borderline, entre outros.

Esteja atenta a sintomas como insônia, cansaço que não passa mesmo depois de um período de descanso, distúrbios alimentares como estar comendo muito mais, ou muito menos, que o comum, falta de vontade de sair da cama até para atividades que gosta de realizar e vontade morrer, e busque ajude especializada.

Muitos problemas psicológicos podem somatizar no corpo, levando a uma série de desconfortos. Lembre-se que: com o diagnóstico e tratamento correto, tudo pode ser curado ou controlado. Não tenha vergonha, cuidar de si é um gesto de amor próprio.

A prevenção e cuidado com a saúde também envolve hábitos saudáveis como a prática rotineira de atividade física, manter uma alimentação equilibrava dando preferência a legumes, verduras, frutas e outra opções naturais e evitando frituras e alimentos ultraprocessados. Além de realizar exames preventivos, em intervalos indicados pelo seu médico, que devem englobar exames laboratoriais gerais, como hemograma e os que verificam taxas de glicose e colesterol, como os específicos para mulheres, de acordo com a sua faixa etária.

Lembre-se sempre: o médico é seu maior aliado, estabelecer uma relação de confiança com o profissional é fundamental.

Coisa de Mulher

Saiba mais sobre os problemas mais comuns que afetam a saúde da mulher.

  •   TPM – a tensão pré-menstrual é o período antes da menstruação onde, pela variação hormonal, a mulher pode ter sintomas físicos como dor nos seios, acne, dor de cabeça; e psicológicos, como irritabilidade. Na maioria dos casos eles desaparecem no primeiro dia do fluxo. Para algumas, inclusive, e um período de muito sofrimento. Mas é possível tratar, então busque ajuda.
  •   Câncer de Mama – é o tipo de câncer mais comum entre as brasileiras. Hábitos saudáveis ajudam a mantê-lo longe, como uma boa alimentação, não fumar e controlar o sobrepeso. É possível fazer o autoexame das mamas sempre que se sentir confortável, além do exame clínico realizado no consultório do ginecologista. Em geral a rotina de mamografias, exame capaz de detectar o problema na fase inicial, se inicia aos 45 anos, mas cada mulher deve seguir a orientação do seu médico. Quanto antes ele é diagnosticado e tratamento, maiores a chances de cura. 
  •   Câncer de Colo de Útero – a doença é ocasionada especialmente pelo HPV, o papilomavírus humano. Existe vacina para a prevenção do HPV, que deve ser tomada no início da adolescência. Verrugas na mucosa da vagina e ânus podem ser um indicativo da doença. O Papanicolau é o exame capaz de detectar se está tudo bem, mesmo antes de qualquer sintoma. Pode ser curado, especialmente quando descoberto nas fases iniciais.
  •   Candidíase – geralmente se manifesta quando a resistência do organismo, ou da própria área vaginal, está baixa. O fungo se multiplica e causa coceira e corrimento. Estudos apontam que, 75% das mulheres apresentarão o problema ao menos uma vez na vida.  Na maioria dos casos, a aplicação de cremes apropriados resolve o desconforto e reequilibra a saúde da região genital.
  •  Ovários Policísticos – quando a alteração dos níveis hormonais levam a formação de cistos nos ovários que fazem com que eles aumentem de tamanho. Cólicas e dificuldade para engravidar são alguns dos sintomas comuns.  O uso de hormônios é eficiente para o tratamento da maioria dos casos. Cada caso deve ser avaliado de forma individual, pelo médico de confiança.
  •   Endometriose – a principal causa de infertilidade entre as mulheres, que podem se tornar estéreis. Fortes cólicas é um sintoma comum que deve ser investigado. Em muitos casos é possível reverter o quadro, ou ao menos controlar seus sintomas.

Cuidados

A vida da mulher passa por vários ciclos e eles estão diretamente ligados com seu período reprodutivo, sendo que a variação e equilíbrio dos hormônios deve ser sempre acompanhada.

Um dos temas a serem tratados é em relação a método contraceptivo. Quando existe uma relação homem e mulher, é interessante que, juntos, definam possibilidade de não engravidar fora de hora, ou mesmo não ter filhos biológicos, sempre com a orientação de um profissional.

Mulheres sem parceiro fixo podem definir como evitar uma gravidez indesejada com o auxílio do seu ginecologista, pensando sempre em sua saúde geral. Mas é fundamental que, independente do método, use também camisinha, pois ela protege de outras possíveis doenças.

O mesmo cuidado com a saúde deve acontecer no momento de planejar uma gestação. Quem pensa em ser mãe deve fazer exames preventivos para certificar-se que está tudo bem com sua saúde, o que irá contribuir para uma gestação mais plena e um bebê saudável.

No período em que mantém uma vida sexual ativa, além do cuidado em não se infectar com doenças sexualmente transmissíveis e prevenir uma gravidez, é importante que a mulher tenha prazer durante as relações. Infelizmente, muitas ainda sentem dores, ou mesmo desconforto durante o ato e, por vergonha, não procuram ajuda. O sexo pode e deve ser prazeroso. É preciso saber se o problema é físico ou psicológico, e tratar. Sexo de qualidade contribui para uma vida mais saudável e feliz.

A menopausa (suspensão do ciclo menstrual) chega, em geral, perto dos 50 anos. É um momento de queda dos hormônios, que podem ter a necessidade de serem repostos.  Alguns sintomas comuns dessa fase são: ondas de calor, falta de libido, alteração do humor e do sono. Faça o acompanhamento dessa fase com o seu médico.

Logo depois da menopausa as mulheres ficam mais propensas a apresentarem um quadro de osteoporose, que deixa os ossos mais frágeis, podendo se quebrar. O exame de densitometria óssea consegue avaliar o risco de fraturas e como está a estrutura óssea do corpo. Cuide-se.

Fontes: Ministério da Saúde; Diagnósticos do Brasil; Portal Gineco.